Manutenção do veículo – algumas instruções valiosas

Conduzir um carro sem que você possua garantia do quão bom ele se encontra é uma situação bastante incômoda, não é mesmo? A fim de auxiliar você, reservamos algumas informações a fim de que você possa ficar ligado na manutenção preventiva e corretiva e da importância da conservação do seu veículo!

Calibração de maneira errada gera acréscimo nos gastos do motorista

Para o condutor, o maior problema dos pneus mal calibrados é a ausência de equilíbrio e trepidações no volante. Para o veículo, a baixa quantidade de pressão causa desgaste antecipado de peças da suspensão e dos próprios pneus.
Além do mais, há gasto excessivo do gasolina. Porém não é meramente a baixa pressão que proporciona complicações nos pneus. Encher além do que é aconselhado é outro deslize.
O excesso de pressão ocasiona o desgaste intenso da banda de rolamento e prejuízos ao alinhamento do veículo.
Outra dica valorosa é jamais calibrar os pneus após um grande trajeto.
A intensa temperatura faz com que eles ampliem seu tamanho, dessa forma não apresentando o verdadeiro número da pressão da parte interna da borracha.
A calibração deve ser efetuada a cada semana ou, somente, de 15 em 15 dias.

O freio está apresentando problemas? Saiba como detectar!

1 – Espessura Há um objeto de atrito das pastilhas com o disco de freio, sua espessura deve ser de tamanho igual ou superior a 3 mm.
Oficinas com especialidade em freios podem fazer essa medição e verificar se a espessura está abaixo do sugerido.
2 – Tempo de frenagem Se o automóvel está apresentando menor eficiência no ato da frenagem ou demorando muito para parar, o indicado é verificar as pastilhas.
3 – Pedal Fundo É necessário que o pedal de freio desça até a metade e depois provocar uma ideia de que bateu em algo duro. Se o pedal estiver afundando mais que o normal procure uma empresa especializada.
4 – Luz Alguns veículos são equipados com uma luz no painel a qual indica que a pastilha está desgastada. Na ocasião dela acender, evidentemente está na hora de alterar as pastilhas de freio.

Tamanho dos pneus impacta na dirigibilidade

manutencao-carro Todo pneu possui referências encontradas nas partes laterais que estão associadas as medidas de largura, a dimensão do aro, o peso máximo suportado, dentre outros.
Todos esse fatores influenciam diretamente na qualidade de dirigibilidade do seu automóvel. Um pneu mais grosso vai ser mais duro, ou seja, mais estabilizado.
Esse modelo de pneu é o mais indicado para veículos de grande peso e também para os que possuem maiores torque e potência. A largura e consequentemente a dureza dos pneus previnem a perda de tração ao dirigir o veículo. É importante ficar atento ao trocar os pneus do seu automóvel.
Já que medidas muito exageradas geram muitos prejuízos na dirigibilidade do seu veículo. As montadoras concedem os dados dos pneus os quais devem ser usados no seu veículo, garantindo assim uma experiência mais agradável para você dirigir.

Amortecedor com problemas, condutor FATIGADO!

amortecedor-carro Em vários casos, a importância essencial não é dada ao amortecedor do automóvel por não ser tão nítido. Contudo, devemos nos atentar que é devido a ele que possuímos segurança e maior conforto dentro dos nossos automóveis. Segundo pesquisa desenvolvida pela Monroe, o gasto do amortecedor age diretamente na fadiga do condutor, onde um amortecedor com apenas metade da sua eficácia é capaz de aumentar em 26% a fadiga do condutor. Além da fadiga, os ensaios da Monroe alegaram que a condição ruim dos amortecedores, influencia inclusive ao longo da frenagem, no qual é possível atingir uma marca maior de 2,5m durante a frenagem. Desse modo, temos um aumento relevante nas chances da ocorrência de um acidente. Consequentemente, é muito importante que você faça uma revisão nos amortecedores do automóvel a cada 10 mil km rodados.

Saiba os principais sinais de desgaste em um amortecedor

Travagem: O fato de dirigir o seu carro com os amortecedores muito gastos expande o distanciamento de travamento do seu automóvel.
A iluminação do automóvel: Na ocasião em que os amortecedores não encontram-se em condições boas, os faróis dianteiros oscilam e não iluminam as ruas de forma igual.
Os pneus: os amortecedores, a partir do momento que se encontram gastos, aumentam a avaria dos pneus e evitam que esses se adiram de uma maneira ideal ao asfalto.
Desempenho no trajeto: Na ocasião em que sente que o seu automóvel começa a “fugir” em uma curva, ou que vibra nas situações em que enfrenta uma rajada de vento mais forte.
A direção do carro: no momento em que a condução do automóvel permanece fora de alinhamento depois do condutor realizar uma curva. O volante fica com complicações no momento de retornar para o seu posicionamento de início e o condutor é “obrigado” a fazer o alinhamento dos pneus do automóvel.

Veja como identificar se o amortecedor do carro se encontra estourado

De fundamental importância para a movimentação dos carros, os amortecedores funcionam para essencialmente conservar as rodas em contato com o solo e auxiliar a absorver os atritos sofridos pela carroceria nas vias cheia de buracos dos grandes centros urbanos.
Os principais resultados de um amortecedor estourado são:- Resposta insuficiente da direção, rigidez ou ruído excessivo;
– Vazamento incessante de fluido do amortecedor ou da estrutura da suspensão;- Amortecedor amassado ou danificado;
– Inclinação excessiva ou inconstância durante a freada;
– Oscilações ou reclinação no momento em que mudar de faixa;
– Desgaste de forma desigual do pneu;
– Direção bastante rígida, anormal ou oscilante;
Fique de olho se o seu automóvel demonstra alguns desses sinais. Caso apresente, procure na hora uma oficina e realize a modificação das peças.

Saiba 4 sugestões para não cometer erros com o óleo do automóvel

1 – Tempo de troca de óleo

Ela deve ser feita quando atingido o tempo estabelecido pelo fabricante. A referência disso é bem nítida no caderno de instruções. Caso você não saiba, consulte o manual.

2 – Completar o nível de óleo

Com o uso constante do veículo, a quantidade de óleo cai um pouco devido às folgas do motor e à queima parcial na câmara de combustão. Portanto, enquanto não chega o dia da troca, vá completando a quantidade. Isso não é errado.

3 – Sistema de filtragem de óleo

Sempre que trocar de óleo, é importante trocar o filtro de óleo também. Este procedimento garante que seu motor fique livre de demasiada sujeira.

4 – Óleo escuro

Esqueça aquele papo de que óleo preto significa que está velho. Nada disso, se estiver preto significa que está lubrificando de maneira correta. O que deve ser percebido são os períodos de troca que podem ser encontrados no manual do proprietário.

Falhas na mecânica geram dificuldades durante a troca de marchas

Em algumas ocasiões, a complicação no engate das marchas é um defeito na mecânica, observe:
Cabo de embreagem – O principal indício do cabo de embreagem com problema é a partir do momento que o pedal fica duro.
Fluido de embreagem – Nos veículos os quais possuem sistema hidráulico de embreagem, é fundamental fazer a verificação do fluido e seguir a orientação do fabricante a respeito de substituições.
Estrias do disco – A falta de lubrificação ou a presença de ferrugem do eixo piloto dificulta o movimento do disco.
Platô – A abertura do platô de embreagem fica comprometida no tempo em que uma ou mais chapas tangenciais encontram-se deformadas. Rolamento do eixo piloto – Na ocasião em que encontra-se estragado, ruídos são provocados na ocasião em que é acionada a embreagem e ao partir com o automóvel.
Óleo na caixa – Uma vez que não seja modificado conforme as sugestões, a caixa pode ocasionar barulhos e estrago acentuado em suas engrenagens.

Catalisador com mau funcionamento aumenta gasto de combustível

O catalisador é o principal elemento do automóvel responsável pela redução de poluentes ao meio ambiente. Além de ser obrigatório pela legislação, ele é primordial para o desempenho adequado do motor.
Em casos de defeito, o carro vai sofrer com consumo maior de combustível. A forma mais indicada de conservar o catalisador é fazer corretamente a manutenção preventiva.
Motor desajustado, velas com sujeira e injetores de combustíveis com mau funcionamento estão entre os grandes vilões do catalisador.
A utilização de combustível adulterado também pode estragar a peça. Se o catalisador encontrar-se com problema, o condutor é capaz de notar os impactos, além do consumo excessivo.
Os mais frequentes são: aceleração com lentidão, arranque difícil e perda de potência em velocidades próximas aos oitenta quilômetros por hora.

Combustível de Fonte Duvidosa Pode Obrigar Limpeza No Tanque

Abastecer com gasolina duvidosa é capaz de obrigar a limpeza do reservatório. Em veículos fabricados anterior ao ano 2000, a lavagem era muito recomendada.
No momento atual, caso o combustível utilizado seja de boa qualidade, não tem necessidade de realizar a limpeza do reservatório.
Se acontecer de você utilizar combustível de procedência questionável e constate determinados problemas no automóvel, procure ajuda de um especialista para lavar o reservatório.
A impureza acumulada no tanque tem possibilidade de ir junto com o combustível para o motor e lesar os demais componentes. O mais costumeiro é gasolina com enorme quantidade de álcool, o qual possivelmente causa sérios problemas a veículos os quais não são flex, no entanto também existe mistura com substâncias proibidas, sem falar do etanol e diesel com grande quantidade de sujeira.

Cuidados com a caixa de embreagem reduzem o desgaste

– Previna não deixando o carro engrenado enquanto estiver parado.- Em momento algum descanse o pé no pedal da embreagem. Essa ação separa o platô do disco e gera o lixamento do disco.
– Nunca arranque com o veículo engrenado na segunda marcha. Sempre use a primeira marcha para começar o movimento e assim sucessivamente.- Quando variar a aceleração, mude de câmbio pouco a pouco, sempre em ordem e consoante com os giros do motor.
– Considere ajustar a a sincronização no tempo de soltar a embreagem e acelerar o veículo ao arrancar. Uma vez que acelera demais e solta pouco a embreagem, acontece a famosa “queima da caixa de embreagem”.
– Caso o carro encontre-se num local com nivelamento inclinado, numa rampa, por exemplo, jamais utilize a embreagem/acelerador com intenção de manter o veículo parado. Use o freio de mão nessa função.

Deixe uma resposta